APARECEU UMA FERIDA, ISSO É GRAVE?

APARECEU UMA FERIDA, ISSO É GRAVE?

Um dos problemas mais comuns apresentados pelo portador da doença de Alzheimer, especialmente aqueles que estão longos períodos no leito ou poltronas são as úlceras por pressão (escaras). Existem muitas causas que podem ser responsáveis pelo seu aparecimento, entre elas, desnutrição, desidratação, anemias, infecções, má higienização e, a mais frequente, imobilidade.

Observe com atenção se o paciente tem a dieta e a hidratação adequadas.

Deve-se prevenir a qualquer custo o seu aparecimento.

Mantenha a pele hidratada, utilizando loções hidratantes por todo o corpo após o banho.

Pacientes mais dependentes devem ter, sobre o colchão normal, o colchão casca de ovo. Os lençóis devem estar perfeitamente esticados sobre a cama, livres de pregas e rugas que agridem a pele.

Os lençóis devem ser mudados sempre que forem molhados.

Se o paciente se alimenta na sua cama , eleve a cabeceira, e no fim, inspecione a cama para remover quaisquer resíduos de alimentos que, eventualmente, tenham caído durante a refeição.

Deve-se evitar pressões demoradas do corpo sobre a cama, especialmente em regiões com proeminências ósseas como, parte lateral do quadril e coxa, região do cóccix (final da coluna), ombros, entre os joelhos, cotovelos, tornozelos, calcanhar.

Posicionar o paciente na cama ou poltrona, com pequenas almofadas casca de ovo, nas regiões críticas.

Quando no leito, fazer mudança de decúbito (posição) de 2/2h.

Ao mobilizar o paciente ou quando for trocá-lo, massajar a pele que está a sofrer uma maior pressão.

Quando estiver sentado, mantê-lo sobre uma almofada casca de ovo, e, levantá-lo a cada duas horas, massajando a pele que está a sofrer mais pressão.

Qualquer sinal de hiperemia (vermelhidão) na pele, deve merecer maior atenção, proteja a região avermelhada com hidratantes, faça massagens que irão ativar a circulação e se possível, exponha a região ao calor.

A higiene rigorosa da pele é a maior arma que se tem para se prevenir ou deter a evolução de uma escara. Por isso, em caso de pequena lesão aberta, esta deve ser lavada com água e sabão, e não sofrer pressão de nenhuma espécie.

As lesões mais profundas devem ser lavadas com Soro Fisiológico 0,9%, morno (para que não haja vasoconstrição), e tratadas com cremes/pomadas ou antibióticos sistémicos prescritos pelo médico.

Todas as lesões devem ser expostas ao calor, a luz solar matinal, ou o calor artificial, gerado por uma lâmpada infra vermelha, que deve ser aplicada à pele com cuidado, para não produzir queimaduras, ou seja, num tempo de exposição de aproximadamente 15 minutos, a uma distância da pele de 30cm. Este calor promoverá a vasodilatação sanguínea, aumentando a oferta de oxigénio aos tecidos, facilitando a cicatrização.

Se surgirem pequenas bolhas na pele, não se deve furá-las, mas expor ao calor seguindo a mesma orientação anterior.

Lesões infectadas (com presença de pus), devem ser avaliadas pelo médico, ele saberá indicar qual creme ou pomada estará indicado a cada paciente, individualmente.

Não coloque sobre a lesão nenhum tipo de receita caseira, ensinada por amigos, vizinhos ou curiosos, lembre-se, apenas o médico, após avaliação, terá condições de prescrever a medicação e tratamentos corretos.

Atenção! A sua maior arma contra as escaras é a prevenção. Isto se faz através da observação rigorosa do paciente, de sua pele, da higienização e da mobilização.